Não deixe de fazer estas 5 perguntas numa entrevista de emprego


Não deixe de fazer estas 5 perguntas numa entrevista de emprego

Sofia Esteves, presidente do Conselho do Grupo Cia de Talentos, diz quais questionamentos o candidato deve fazer na etapa presencial dos processos seletivos.

Você sabia que 6 em cada 10 empregados dizem que a realidade do novo trabalho é bem diferente das expectativas que tinham durante o processo seletivo? Pois é! Esse é um dado bem preocupante, eu diria.

Muitas vezes, isso acontece porque muitos candidatos acreditam que só eles podem ser sabatinados, mas o entrevistador não. Essa é a hora de mudar esse pensamento.
Ao participar de uma entrevista de emprego, saiba que você pode – e deve! – fazer perguntas ao selecionador. Quando digo isso, as pessoas me questionam o que deveriam perguntar.

Pensando nisso, decidi trazer algumas sugestões para esse momento.

Durante o processo seletivo, pergunte ao entrevistador o que ele espera do profissional que irá contratar. Essa pergunta é importante porque nem sempre o título de uma vaga não diz muita coisa sobre a posição. É preciso saber se a empresa espera um perfil executor, uma mente questionadora, uma pessoa criativa, etc.

Ao investigar esse ponto, você saberá a relação entre o cargo e a estratégia do negócio, ou seja, qual nível de influência você teria nas diretrizes da empresa. Você também pode completar essa pergunta questionando o que esperam daqui um, três e doze meses do profissional contratado.

Essa pergunta irá lhe ajudar a saber se o entrevistador já tem em mente uma trajetória clara para você, em termos de resultados e desenvolvimento profissional. Ao descobrir um pouco sobre as entregas que ele tem em mente, você poderá avaliar se o ritmo de trabalho exposto é condizente com o que você acredita e com o seu próprio ritmo.

Outro ponto que deve ser levantado é: como a empresa mede resultados? Identificar como o seu progresso nesta posição será medido dá uma ideia de como a empresa vê e pratica a meritocracia, além de dar alguns sinais sobre como isso será medido.

Sondar como era o profissional que ocupava essa cadeira anteriormente e o que funcionava ou não no seu trabalho vai te dar informações sobre o que é sucesso ou não, naquele ambiente. Esse questionamento também possibilita explorar um pouco mais sobre a cultura, comportamentos e entregas valorizados (e não valorizados), além dos resultados esperados.

Outra pergunta interessante a fazer é: o que eu poderia fazer para tornar o seu trabalho mais fácil? A resposta vai ajudá-lo a descobrir quem apresentará a maior demanda para você e sua equipe, além de mostrar como o entrevistador (ou os demais entrevistadores) ficam satisfeitos no ambiente de trabalho. Outro importante sinal a ser colhido com essa pergunta é: as respostas dadas serão provavelmente os principais problemas que você terá de resolver no seu dia a dia.

Por último, quero te dar uma dica de ouro. A pergunta mais importante que você deve fazer e que valerá sua satisfação – ou não – no futuro trabalho é simples: quais são os principais valores da empresa? A cada novo ano, fica mais evidente na pesquisa Carreira dos Sonhos, conduzida pelo Grupo Cia de Talentos, que os profissionais se sentem mais realizados quando seus propósitos e valores estão alinhados com os de seus empregadores. Por mais filosófico que pareça, os profissionais não deixam empresas que lhes pagam menos do que gostariam, mas sim aquelas cujos valores e propósitos vão na contramão daquilo em que acreditam.

Para finalizar, quero dizer que você deve pesquisar muito sobre seu futuro empregador. As redes sociais, a internet em si e seu próprio networking podem ajudá-lo (e muito) a saber mais sobre a empresa. Converse com os públicos estratégicos daquela organização – fornecedores, clientes, funcionários e ex-funcionários – para saber como a empresa é no dia a dia. Assim você poderá descobrir se o discurso e a prática estão alinhados.

Fonte: Exame.com